sexta-feira, 10 de julho de 2009

(Piloto “ah-perdi-as-contas”) (O texto dos parênteses!)

(Com preguiça de fazer as contas...) Dia cheio, cansativo e movimentado. Tudo bem que hoje fiz meu horário (A vida tá começando a se organizar do jeito que eu quero) e pude dormir até não poder mais, meio-dia. Levantei e hoje eu resolvi brincar de trabalhar. Quer dizer, na verdade tive bastante coisa pra resolver, principalmente com banco, em que tive que prestar contas pro meu chefe. Como sou novo no emprego, meu chefe hoje resolveu testar meu desempenho e me deu um extrato de banco para testar minha “organização contábil” (sim, mudei de emprego, agora trabalho num lugar, cujo percurso simplesmente é na trilha do mar. Se não morasse na cidade, moraria no paraíso em que eu iria na praia dar um nadada e pescar o almoço. Eu hoje estou num ótimo emprego (o salário não é dos melhores, mas consigo cobrir meu passivo) em que a idéia que eu faço é simplesmente essa. E faço isso não pra buscar o peixe e, sim sereias, andar de navio, fazer nadar... Em outras palavras meu dinheiro é pra roupa, festa, mulher e cachaça, ...) – foi o maior parêntese na minha iniciante carreira de escritor, tá perto de eu postar sobre isso. E outra, não é um dos melhores empregos do mundo pra mim, simplesmente todo mundo dormiu hoje (eu consegui flexibilizar meu horário pra não precisar ir de manhã. A galera que foi toda dormiu de tarde. E de tarde só ficou essa galera. O resto (da sala ao lado, porque o prédio da Química pegou fogo, aí eles estão “alojados” lá no laboratório mais “relaxadão” do Campus, o laboratório de Física, que é onde eu trabalho), como dormi em casa, cheguei lá em alta. Dois caras subiram pro mezanino que fizeram como sala de repouso, pra dormir. Então fiquei com a galera que deve ter dormido de manhã ou não foram pro reggae quarta, lá só contando piada, dando risada e assistindo vídeo de e-mail pra homem. E descobri que é tenho que voltar do trabalho com o sol acendendo a cidade, preciso ver o mar! O ponto de maior satisfação desse trabalho é poder voltar também com o mar. Não posso trabalhar até tarde da noite!
Ainda tive que resolver o trabalho de conclusão de curso do MBA. Primeiro que começou comigo sem lembrar (de jeito nenhum!) que hoje tinha reunião. Um colega me ligou duas vezes (só atendi na segunda) pra me lembrar e pedir a apostila. Quando cheguei os caras tavam lá me esperando, na internet e trocando palavras. Cheguei, corrigi dei uma olhada no trabalho, corrigi e entreguei uma apostila que simplesmente tinha tudo que precisa ser colocado no trabalho. Um deles comemorou e disse que o trabalho tava pronto e pediu emprestado por uma semana para ler e adiantar as coisas.
Mas meu dia ainda não tinha terminado, fui pra casa de um amigo meu recém-casado (sem cerimônia, festa, só por morar junto). Fui pra lá troquei, idéia, filosofei, dei idéias cheques, ouvi coisas interessantíssimas, sérias, pra aprender e tudo isso em menos de uma hora... E senti muita saudade na volta...
Quando voltava pra casa, por volta das 23h senti todo o por que, toda a inspiração de Chico Science nessa música. A cidade não pára, a cidade só cresce (tá até agora bombando, um pouquinho, os carros nas ruas e tal), o de cima sobe e o debaixo desce (primeiro tinha um Monza antigão se arrastando na rua e na frente da fila de três, com o meu atrás, tinha uma Mercedes). Foi em momentos como esse meu que essa letra explodiu na cabeça dele, assim como a idéia dele explodiu na minha cabeça. Sulozei no MSN enquanto escrevia esse texto, procurava essa música, tudo isso ao som de Caetano Veloso no iPod e de headfone no ouvido. Este foi o meu ótimo dia.

8 comentários:

Fernanda Magalhães disse...

Le. Antes de mais nada te desejo sucesso no novo trampo...Meu! e que inveja tua de ver o mar todos os dias!! Tudo que eu queria era isso... Não entendi aprada de acorda, dorme. A galera dorme no trampo?


E sobre a musica tudo aver, neh? tbem adoro!


Meu lindo adorei teus elogios la pra o brisa feliz, tbem curto muito te ler e se tiver passando por gyn, faço questão de te fazer companhia.

Bjos de luz e obrigada pelo carinho e amizade.

Vinicius Grissi disse...

Um emprego próximo à praia, com certeza, dá um pique extra para a labuta.

Leandro disse...

Inaugurando a resposta aos comentários...
Fer, é o seguinte, tem um mezanino lá que era ocupado como depósito. Os caras fizeram uma limpa, arrumaram outro depósito e foi feito no mezanino uma sala de descanso, de ócio. Ela pode ser usada tanto para reuniões menos formais, como para descanso mesmo, pois ela é confortável.Então a galera trabalha, faz tudo o que tem que fazer primeiro e quando tem a oportunidade sobre lá pra descansar, ler alguma coisa, enfim relaxar.
Grissi, talvez você não tenha noção do bem que isso faz!

DO disse...

Ainda bem que vc sabe que trabalha perto do paraiso,rssss. Felicidades no emprego,Leandro!!

Abração!

Euza disse...

Eu já te disse, né? Este trabalho deve ser bem interessante (pra mim, tudo que tem relação com a academia é interessante).
Qto aos parênteses... reparou que eles formam um texto à parte. Um texto dentro de outro texto. Gosto disso.
Beijos, fofinho!

Stephanie Pereira disse...

que trabalho, hein guri? mto bom!!!

Lelli Ramz disse...

Queridoooo como assim...acordando quase meio dia e emprego novo.. ah tendi... eh tipo eu assim: brinco de trabalhar nas horas vagas,,, e como tenho muitas horas vagas: trabalho mto!
Agora tenho que dizer amo amo amo... A cidade não para.. e nem eu!:)

Bjinhus amei saber do seu dia.. acho q um dia conto o meu dia... pra ô cês tb!

Lelli

Beta Setimi disse...

Boa sorte no novo trab... nunca é demais! RS... Bjsssss